Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Síndrome de Hipersensibilidade à Dobutamina (eosinofilia, taquifilaxia e deterioração hemodinâmica) revertida com pulso de Metilprednisolona.

OLIVEIRA, LC, Almeida, NKP, Almeida, DR, Negri, PWB, Oliveira, FRB, Seibel, CM, Oliveira, RRR, Oliveira, RB, Moreira, AFB, Nasrala, AFS
UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução: A insuficiência cardíaca aguda (ICA) é a principal causa de hospitalização em pacientes acima de 60 anos, os quais apresentam sinais de congestão e/ou baixo débito cardíaco sendo que aproximadamente 50% necessitam de suporte com drogas inotrópica positiva pela via endovenosa.  A dobutamina é a droga inotrópica de escolha no tratamento da ICA em mais de 90% dos centros especializados, pelo seu potente efeito inotrópico, baixo custo e poucos efeitos adversos graves. Objetivo: Descrever um caso de efeito adverso raro de hipersensibilidade à Dobutamina e consequente deterioração hemodinâmica do paciente. Descrição do caso: Paciente masculino, 18 anos, portador de IC com fração de ejeção reduzida (FE 24%) de etiologia Chagásica internado com quadro de ICA em perfil hemodinâmico C. Iniciado tratamento com diurético endovenoso e dobutamina em infusão contínua de 8 mcg/kg/min com resposta inicial satisfatória. Após 96 horas apresentou recorrência de sinais de baixo débito cardíaco, taquicardia, oligúria sem resposta ao aumento progressivo da dose do inotrópico associado à presença de eosinofilia importante no hemograma sendo levantada a hipótese diagnóstica de reação de hipersensibilidade e taquifilaxia à Dobutamina. Em decorrência da indisponibilidade de outro agente inotrópico alternativo como Milrinone e diante da deterioração hemodinâmica do paciente optou-se pela manutenção da medicação e emprego de pulso de Metilprednisolona 500mg ao dia durante 3 dias, a partir da qual se observou rápida resolução da eosinofilia, redução da frequência cardíaca e rápida estabilização hemodinâmica, permitindo compensação, desmame da droga medicação e alta hospitalar. Discussão: A síndrome de hipersensibilidade à Dobutamina com eosinofilia e taquifilaxia é um efeito adverso grave e raro que se associa a infiltração eosinofílica do miocárdio (miocardite por hipersensibilidade) e consequente deterioração hemodinâmica do paciente. A suspeita clinica se faz pela presença de eosinofilia no sangue periférico e não resposta ou deterioração hemodinâmica. Idealmente deveria ser confirmada por biópsia endomiocárdica e a conduta seria a substituição imediata da Dobutamina pela Milrinone, não havendo na literatura menção de tratamento com corticoide. Conclusão: Este caso sugere que esta é uma situação muito grave e, diante da impossibilidade da substituição da Dobutamina por outra droga inotrópica, a terapêutica com corticoide em doses elevadas pode ser benéfica.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXIX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

31 de maio a 02 de junho de 2018
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil